Skip to content

Fiorde News

Começa temporada de contratações na Brasil Terminal Portuário

Por adelto - 30/04/2012 - Breaking News

SANTOS -  A Brasil Terminal Portuário (BTP) vai contratar 700 profissionais ao longo deste ano e no início do próximo, para atuar na fase inicial de operações do seu novo terminal de contêineres e graneis líquidos, que está sendo construído na região da Alemoa, no Porto de Santos. A previsão da empresa é que o empreendimento comece a funcionar no primeiro trimestre do ano que vem.

Os interessados nas vagas devem se apressar. Algumas já estão disponíveis, como as de supervisor de prontidão de carga (o responsável direto pelos processos de liberação no sistema do terminal para cargas de importação e exportação), analista de Tecnologia da Informação (TI) para a área de infraestrutura e analista e assistente de processos e qualidade (que respondem pelo sistema de gestão da qualidade e meio ambiente. Também serão admitidos estagiários para as áreas contábil e de Recursos Humanos.

Para se candidatar a uma das funções, basta acessar o site da empresa, no endereço eletrônico www.braporto.com.br e se cadastrar no link Quer trabalhar conosco – Envie seu currículo aqui, no topo da página. É importante que os dados sejam preenchidos corretamente.

O mesmo procedimento deve ser adotado por aqueles que desejam se cadastrar para futuras posições na companhia. De acordo com o gerente de Recursos Humanos da BTP. Hudson Carvalho, haverá ainda oportunidades para operadores de portêiner, transtêiner e empilhadeira (com registro obrigatório no Órgão Gestor de Mão de Obra, o Ogmo), mecânicos e eletricistas, entre outros.

Para as áreas técnica e administrativa, serão disponibilizadas vagas para enfermeiros e médicos do trabalho, técnicos de segurança, especialistas em finanças, contabilidade e outros departamentos.

“As contratações para algumas posições já estão em andamento na medida da necessidade do projeto. O volume deve crescer até o final do ano, intensificando-se com a fase de testes dos equipamentos em novembro. O pico deve ser atingido no início de 2013, coincidindo com o início da fase operacional”, explicou Carvalho.

Para a etapa de obras, foram admitidos em torno de 2 mil funcionários. Nesse caso, as contratações foram feitas diretamente pela construtora Andrade Gutierrez, responsável pelo serviço.

Mão de obra

Segundo o gerente de RH da BTP, a empresa tem priorizado a mão de obra local, sobretudo a oriunda da indústria portuária. “O grupo de profissionais a bordo é composto majoritariamente por pessoas com esse perfil, assim como por santistas que, trabalhando em outras regiões do Estado, candidataram-se às vagas da BTP e foram aprovados no processo seletivo”, destacou.

A contratação e o preparo do pessoal conta também com o apoio de entidades como o Ogmo e o Cenep (Centro de Excelência Portuária), que colaboram com sua experiência em qualificar profissionais para o segmento. Ambos órgãos oferecem cursos para interessados em ingressar nesse mercado.

“Temos ainda iniciado contato com outras instituições de renome, como o Senai, para nos ajudar nessa tarefa”, disse o gerente, lembrando que a empresa tem optado por oferecer qualificação aos trabalhadores na medida em que são contratados. “Ao longo de 2012 devem ser geradas cerca de 16 mil horas/ homem de treinamento para o grupo de funcionários”.

Um capitão do Exército foi preso na madrugada deste domingo após atropelar um agente da blitz da Lei Seca, na Ilha do Governador, no Rio. Edmar Tadeu de Souza Pereira se recusou a parar na blitz realizada na estrada do Galeão, na zona norte. Ao ser abordado, ele acelerou o veículo e atropelou um policial militar, que passa bem.

De acordo com o governo do Rio, o capitão foi perseguido e preso por agentes da Operação Lei Seca e encaminhado para a 21ª DP, no bairro de Bonsucesso. O carro do militar também foi apreendido.

Segundo os agentes da blitz, Edmar Tadeu de Souza Pereira tinha a carteira de habilitação vencida, estava sem os documentos obrigatórios do carro e se recusou a fazer o teste do bafômetro. As infrações causaram a perda de 24 pontos na habilitação do capitão, além de multas que chegaram a R$ 1.373.

 Fonte: A Tribuna-Santos

Posts Relacionados

Comentários

0 Comentário

Comentar